Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mentir ou não mentir

por pedrop, em 26.02.15

"Como nós dizemos em Portugal, os amigos são para as ocasiões. E numa ocasião difícil para o país, em que muitos não acreditaram que o país tinha condições para enfrentar e vencer a crise, a verdade é que os chineses, os investidores chineses, disseram presente, vieram e deram um grande contributo para que Portugal pudesse estar hoje na situação em que está, bastante diferente daquela que estava há quatro anos atrás"

Às declarações lidas assim, sem autor, qualquer português identificaria um membro do governo, talvez o Primeiro-Ministro, Passos Coelho. Não a um líder da oposição. É, por isso, incompreensível que tenha sido António Costa a fazê-las, sob qualquer ângulo. 

Não vale de muito a justificação, encontrada pelos seus apoiantes para adocicar, de que a declaração é por sentido de estado em relação a estrangeiros. Se se fala para fora, já vale a pena mentir? Há 4 anos, ninguém ligou muito às declarações de Pedro Passos Coelho, então líder da oposição, aos jornais estrangeiros, que apontavam para uma política mais dura. Também era por sentido de estado, para acalmar os mercados e os parceiros europeus. Afinal, veio a verificar-se mais tarde que era isso que retratava o pensamento de Passos Coelho. 

Supondo que Costa não estivesse a mentir, a conclusão a tirar é que o PS sempre se opôs e mantém, pelo menos oficialmente, a oposição a esta política e, no entanto, o seu líder surge a infletir essa posição e a assumir que acha que o país, de certa forma, está melhor. Pode considerar-se que se trata de um aspeto circunscrito, o investimento estrangeiro. Mas, nesse caso, o investimento em causa é resultado, essencialmente, da política de privatizações e de vistos gold. Ou seja, Costa incentiva os chineses a investir nas privatizações a que supostamente se opõe. Estaremos perante aquele PS que, na oposição, é contra as privatizações, para depois fazer ainda mais privatizações no governo? Isto para não falar no sucesso dos vistos gold, pelo menos na forma como foram implementados, havendo neste momento pessoas detidas por tal melhoria na situação do país...

A verdade é que António Costa já tinha falado perante estrangeiros e não se coibiu de atacar o governo. A diferença é que havia câmaras das estações de televisão, o que aqui não acontece. A gravação foi privada, depois obtida e divulgada por Nuno Melo. É isto que o líder do PS diz em privado, quando acha que ninguém está a gravar? É a primeira vez, em 4 anos de oposição, que se coloca em causa desta forma todo o trabalho de oposição. Mas é também um retrocesso para todos os que sofreram com a austeridade e que esperam pela mudança. Depois do que este governo fez, a declaração é simplesmente infeliz, e as justificações que lhe encontraram preocupantes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:58


9 comentários

Imagem de perfil

De mariali a 26.02.2015 às 15:45

Não entendo nada, nada de politiquices, a sério. Tudo me parece irreal, infantil. Vou escutando de todos os lados e não ouço nada, nada de verdade...
Em vez de se preocuparem com o país, o povo português, não, passam o tempo a ver quem melhor fica na fotografia, e, como "uma boa imagem vale mais que 1000 palavras", pronto, há muita gente que só vê através do desenho, e assim somos, assim estamos.
Caminhámos de olhos vendados, aos tropeções, não conseguindo captar algo que nos eleve a todos, em vez de só favorecerem meninos bonitos, birrentos, oportunistas...
Há uma possibilidade, pode ser que, por "selecção natural", este tipo de indivíduos vá rareando, vá caindo, até que desapareça para todo o sempre.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 26.02.2015 às 16:11

O número de ca
Sem imagem de perfil

De Vladimiro Pinto a 26.02.2015 às 16:11

Muita gente se tem esquecido, e não só em Portugal, de que o nome dos partidos alternativos à direita é socialista ou social democrata (os que o foram autenticamente).Para governar como a direita não é precisa a cópia. Aí está o Syriza, esse pelo menos tenta governar como verdadeira alternativa. Não admira que o voto esteha como está por essa Europa.
Sem imagem de perfil

De Teodoro a 26.02.2015 às 16:25

Peço desculpa pela intervenção anterior…
Dizia eu: O número de cantinas sociais sobe exponencialmente e toda a gente acha normal, porque se consegue dar de comer às pessoas, ou seja coisa RIDICULA, o número de cantinas sociais devia descer porque as pessoas deveriam ter acesso a alimentação sem terem de ir a cantinas ou a carrinhas de rua. O número de pessoas abandonadas em hospitais aumenta porque os familiares não podem ficar com eles em casa nem pagar um lar. O número de crianças que chega com fome à escola aumentou exponencialmente. O número de faltas às consultas nos hospitais teve um grande aumento porque as pessoas têm medo de faltar e perder o emprego. O numero de pessoas que chega em estado avançado de doença ao hospital aumentou significativamente porque vão adiando para não pagar, não só as tx moderadoras mas tudo o restante no hospital e este sim é o verdadeiro motivo de inúmeras pessoas nas urgências e da sua acumulação – os casos chegados são muito mais graves, a treta dos picos da gripe é por e simplesmente TRETA. Poderia ficar aqui dando mais razões, mas se calhar o que o Costa disse sobre chineses é mais importante para alguns do que a falta de serviços adequados de saúde, educação, fome, etc. Isso sim é importante o Costa disse….. tenham é VERGONHA. Politicos RELES estes ao qual estamos entregues. Esse Sr. Qualquer coisa Melo do CDS e todos os restantes do governo que só falam disto são realmente uns bichos nojentos e pessonhentos.
Sem imagem de perfil

De JSC a 26.02.2015 às 18:13

Mandaram o Tozé Seguro embora, as membros do PS devem estar a pensar no que foram fazer... Decidiram que o Tó Costa era o D. Sebastião, mas o D. Sebastião continua lá perdido por Alcácer-Quibir. Como o mundo dá voltas.
Imagem de perfil

De cheia a 26.02.2015 às 19:35

Portugal em 2015

Um País destroçado
Como folha de papel amarrotado
Num fado embrulhado
Com o futuro adiado
Com o político desacreditado
Tudo está parado.
Com o hospital fechado!
Morre-se, à porta, na maca do bombeiro, empenhado.
O corrupto é aclamado!
Numa justiça com cadeado
O professor não é admirado!
O aluno está desinteressado
Este País está encerrado
À espera do milagre desejado
Como em muito século passado
Sem dar atenção ao braço esforçado
Que aproveitado, poderia ser um achado
Enquanto o milagreiro não for encontrado.


José Silva Costa



Imagem de perfil

De cheia a 26.02.2015 às 19:43

Portugal em 2015

Um País destroçado
Como folha de papel amarrotado
Num fado embrulhado
Com o futuro adiado
Com o político desacreditado
Tudo está parado.
Com o hospital fechado!
Morre-se, à porta, na maca do bombeiro, empenhado.
O corrupto é aclamado!
Numa justiça com cadeado
O professor não é admirado!
O aluno está desinteressado
Este País está encerrado
À espera do milagre desejado
Como em muito século passado
Sem dar atenção ao braço esforçado
Que aproveitado, poderia ser um achado
Enquanto o milagreiro não for encontrado.


José Silva Costa






Sem imagem de perfil

De Jorge a 26.02.2015 às 21:12

O PS nunca foi carne nem peixe, é assim uma espécie de coisa em que não dá para acreditar. Já nos anos 80 Mário Soares "meteu o socialismo na gaveta"!

Razão teve a tipa do Eixo do Mal quando disse que "o maior adversário do candidato a Primeiro-Ministro António Costa ia ser o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa António Costa."
Nem mais! É cada tiro no pé que até assusta!
Imagem de perfil

De pedrop a 28.02.2015 às 01:32

Agradeço os comentários. Maria Lima, não desista da política, é a vida de todos, da escola dos filhos ao médico que nos trata e ao polícia que nos atende se somos assaltados, que está em causa.
Vladimiro Pinto, concordo consigo e tenho ali acima uns posts sobre isso mesmo. Acho que tem toda a razão quando refere mesmo a ideia de partido social democrata, que tem de ser...social democrata, e não partir do quadro de pressupostos ideológicos do adversário.
Teodoro, na questão das cantinas sociais está de facto um problema, porque há relatos de que chegam a custar mais do que pagar àquelas pessoas o RSI. Nas escolas, o esforço que o estado teria de fazer para garantir mais refeições e gratuitas não é assim tão grande (houve um projeto do BE nesse sentido e foi chumbado, infelizmente). De resto, os seus exemplos são verdadeiros, sei disso. Mas é justamente aí que reside o problema destas declarações. O governo fala disto porque sentiu que a oposição, em privado, lhe dá razão.
JSC e Jorge, esse messianismo foi um problema. Não tenho dúvidas de que encorajou o que não devia ser encorajado. Até falei muito nisso e fui duramente atacado pelos ditos "costistas" na altura. Aí está o resultado.
Abraço

Comentar post