Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O mundo mudou

por pedrop, em 16.04.15

Quando a Câmara Corporativa diz que vencer o governo está difícil, e até faz uma crítica fina à liderança do PS, é porque a coisa está mesmo feia... Há escassos meses, vencer o governo com maioria em todas as eleições (mesmo as não legislativas) era um dever óbvio, de tão mau que era o governo, e só não se concretizava pela ausência de oposição. Agora, vencer, mesmo sem maioria, passou a "tarefa complicada", "empreitada difícil" perante o "cerco asfixiante" dum governo todo poderoso que "utiliza sem qualquer pudor os meios do Estado para fazer a mais rasteira propaganda". Pena não se terem lembrado deste entendimento antes, quando o PS ganhava eleições.

A verdade é que o problema fundamental do PS não é um problema de liderança ou de pessoas, mas sim estrutural. A social-democracia na Europa está em crise, e isto tem sido dito há anos. Contudo, agora que as sondagens mostram uma aproximação da coligação, e a última até aponta para um empate, fica complicado dizê-lo, porque se rejeitou isso mesmo, e se disse o seu contrário, apenas para mudar uma liderança partidária (que, a partir de dada altura, se tinha centrado nas propostas a nível europeu) e para chegar ao poder interno nesse partido. Esse objetivo foi bem conseguido, com um erro de diagnóstico, repetido na comunicação social. Por isso, de pouco vale agora dizer que "a direita está entrincheirada nos órgãos de comunicação social", fazendo queixa à injustiça do mecanismo de que se beneficiou há tão pouco tempo, sob pena de soar mal agradecido. Os problemas estruturais transcendem-nos. Só que, quando nos equivocamos (ou quando equivocamos os outros) sobre eles, fica difícil, de facto. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:49